27/09 20:02

Governo e Conselho Estadual de Educação promovem colóquio sobre o educador Paulo Freire

Secretário Felipe Camarão participa do Colóquio sobre Paulo Freire, na Casa de Cultura Josué Montello

Secretário Felipe Camarão participa do Colóquio sobre Paulo Freire, na Casa de Cultura Josué Montello

Uma tarde de diálogos e reflexões sobre as teorias, pensamentos e ensinamentos deixados pelo mestre Paulo Freire, um dos mais notáveis pensadores da história da pedagogia mundial. Assim foi o colóquio promovido pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) em parceria com o Conselho Estadual de Educação (CEE), nesta terça-feira (26), no auditório da Casa de Cultura Josué Montello.

O evento alusivo ao aniversário de 96 anos do educador, que fez da sua vivência a base para elaborar pedagogias educacionais libertárias e em prol dos mais oprimidos, reuniu os secretários de Estado: da Educação, Felipe Camarão; da Mulher, Laurinda Pinto; e dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves. Além do presidente do Conselho Estadual de Educação, José Ribamar Bastos, dos conselheiros, Professor Mauro Gurgel e Geraldo Castro, e de dezenas de educadores apaixonados pela pedagogia de Paulo Freire e seus muitos ensinamentos deixados para o mundo da educação.

DSC_0155“Os pensamentos, os ensinamentos pedagógicos deixados por Paulo Freire são o norte para uma educação cidadã e libertária, em que se pense, principalmente, nos menos favorecidos. Discutir e refletir sobre os ensinamentos de Paulo Freire é manter essas teorias pedagógicas vivas e presentes no cotidiano educacional, é renovar as nossas esperanças por uma educação que realmente traga dignidade para a nossa gente”, pontuou Felipe Camarão.

“Este é um encontro muito importante, porque na realidade toda filosofia, toda a teologia e pedagogia de Paulo Freire têm contribuído muito para a educação Brasileira. No momento parece que há um movimento contrário a ele e por isso é preciso que a gente trabalhe no sentido de reavivar a importância de Paulo Freire, que contribuiu muito para a educação. É importante que nós louvemos a voz e os ensinamentos dele”, destacou José Ribamar Bastos.

O evento teve como foco debates sobre importância do pensamento de Paulo Freire para a educação. A professora Mestra Tatiana Rocha Cruz, que é técnica da Seduc, proferiu a palestra “20 anos de presença/ausência de Paulo Freire”. A palestrante falou dos pensamentos e ensinamento de Paulo Freire que se tornam cada dia mais atuais e necessários numa perspectiva de humanização do processo ensino e aprendizagem.

“A Pedagogia Freiriana tem como base o processo de humanização. Então, quando a gente vê, por exemplo, a proposta do governo com o “Programa Escola Digna’, a gente vê que não é só de uma escola com a estrutura de paredes, mas uma escola que possa realmente estar humanizada. Então, o pensamento de Paulo Freire se atualiza e se revigora nessa perspectiva, porque trata do processo de humanização do ser humano na sua totalidade. Coloca o ser humano como aquele que intervém no mundo, que aprende para poder transformar a realidade em que está. Paulo Freire sempre dizia que ‘educar é impregnar de sentido cada ato do cotidiano’ e que ‘o ser humano é o sujeito mais importante das relações dentro da educação”, destacou Tatiana.

O Professor Mauro Gurgel, Conselheiro do CEE, proferiu a palestra “Paulo Freire e a realidade atual brasileira”, onde destacou as grandes contribuições de Freire para a educação, não só brasileira, mas de vários países, como até mesmo os Estados Unidos. Gurgel leu uma mensagem de Moacir Gadotti, do Instituto Paulo Freire, parabenizando os educadores maranhenses e o Governo do Maranhão.

“Por meio do nosso querido amigo Roberto Mauro, ficamos sabendo do encontro que ora realizam. Muito bom saber de vocês. Maranhão tem sido um porto de esperança onde lançamos a âncora quando o coração fica apertado. Saber que estão trabalhando com a proposta da Escola Digna em diálogo com as contribuições de Freire, fortalecendo a luta pelos Direitos Humanos, remando na direção da justiça social e de um mundo menos malvado, é, verdadeiramente, razão para nos animar e resistir. Os tempos são sombrios. A resistência e a esperança são construídas e alimentadas com notícias como a que Roberto Mauro nos trouxe. Que alento! […], Moacir Gadotti.
A última palestra do colóquio foi proferida pelo secretário Felipe Camarão, que abordou a temática ‘Escola Digna e o pensamento Freireano’. O secretário destacou que o programa, que é a principal e maior política educacional da história do Maranhão, instituído pelo governador Flávio Dino no seu primeiro dia de governo, foi totalmente estruturado dentro dos ensinamentos pedagógicos de Paulo Freire.

“O governo do Maranhão e a Secretaria de Estado da Educação são completamente inspirados pelos ensinamentos de Paulo Freire, não apenas por retórica, mas, por ações concretas. A prova viva disso é o programa Escola Digna, que está levando dignidade para milhares de estudantes por todo o Maranhão. Não apenas melhorando as paredes da escola, mas, também, com ações pedagógicas que estão transformando o processo de ensino e aprendizagem na sala de aula. Estamos levando assessoria técnico-pedagógica a 120 municípios; instituímos o Plano mais Ideb para melhorar a qualidade do ensino e elevar os índices educacionais; com o Avança, estamos fazendo a correção de defasagem idade \série. Todas estas políticas foram concebidas com base nos ensinamentos de Paulo Freire, na visão Freiriana de Educação. E como Freire, não perdemos a esperança em uma educação melhor para as crianças e jovens do nosso estado e do nosso país”, pontuou Felipe Camarão.

O legado de Paulo Freire
Paulo Reglus Nunes Freire nasceu no dia 19 de setembro de 1921, em Recife, Pernambuco. Filho de uma família muito humilde vivenciou a situação de pobreza comum a milhões de brasileiros. Como educador foi responsável por uma Educação Libertadora, rompendo com os padrões de uma educação domesticadora.  Tendo influenciado o chamado movimento ‘Pedagogia Crítica’.

Defensor dos oprimidos, entre as décadas de 1950 e 1960, Paulo Freire dedicou-se às experiências no campo da educação de adultos em áreas proletárias e subproletárias, urbanas e rurais, em Pernambuco.  Foi perseguido e preso por duas vezes pela Ditadura Militar. Aos 43 anos exilou-se no Peru, antes do fim de 1964. A trajetória no exílio permitiu que o educador levasse suas ideias para os cinco continentes do mundo.  Em 69 foi convidado para lecionar na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, onde ficou por dez meses.

Paulo Freire escreveu mais de 20 livros individualmente, além de tantos em parceria com outros educadores e pensadores. Entre as suas mais ricas contribuições para a pedagogia mundial estão obras como ‘Pedagogia da esperança’, ‘Pedagogia da Autonomia’ e ‘Cartas à Guiné-bissau’. Por todo seu legado Freire é considerado o Patrono da Educação Brasileira. Faleceu no dia 2 de maio de 1997, em São Paulo.

Contatos

contatos

Rua do Sol, nr. 412, Centro
CEP: 65020-590
São Luís - Maranhão

Telefone de Contato:
(98) 3214-1623 - Geral
(98) 3214-1624 - Presidência
(98) 3212-3643 - Secretaria Geral
(98) 3232-6656 - Assessoria

Localização

localização

Click to open larger map